Ego’s Restaurante e Galeteria, um novo conceito em gastronomia

13/06/2016 15:00

Em um momento de crise e incerteza, Getulio Garcia Louzada, que era proprietário da Agropecuária Aliança decidiu trocar de ramo. Em meio a seus almoços projetou ganhar dinheiro com o ramo da alimentação. Embora não entendesse nada do ramo decidiu apostar.

Daí por diante o destino deu uma ajuda para que o empreendedor resolvesse o que fazer. Ele foi fazer compras no supermercado Guanabara do Jardim do Sol, quando percebeu um belo prédio onde há algum tempo funcionava outro restaurante, “Havia uma placa de aluga-se e o prédio tinha aspecto de abandonado, mas o lugar era lindo”, lembra ele. Naquele exato momento Getúlio pensou que aquele podia ser o seu restaurante, entrou em contato com o proprietário do prédio que facilitou a negociação e o negócio foi fechado.

Curiosamente o mais novo empresário não sabia absolutamente nada sobre gastronomia, mas foi pesquisando até que conheceu a culinária uruguaia. A partir daí foi buscando mais informações sobre a famosa parrilla e utilizando diversos cortes de carne bovina. Atualmente o restaurante atende cerca de 180 pessoas por dia, além de ter outro endereço especializado em galeteria com o autêntico sabor da serra gaúcha.

Grupo Oceano: Como surgiu o nome Egos?

Getúlio Louzada: Eu tinha em mente que tinha que ser um nome curto, pequeno e fácil de gravar, mas não surgia nada. O restaurante estava quase pronto para inauguração e nada. Até que um dia eu e minha esposa, Fernanda, deitamos e eu sonhei que tava entrando aqui no restaurante e ele estava cheio, saí na porta e olhei o estacionamento estava lotado. Eu pensava: como o restaurante estava funcionando se não tinha nem nome? Foi quando, no sonho, olhei para onde está a nossa logo atualmente e dizia Ego’s, exatamente como é. Eu acordei, chamei a Fernanda e pedi que ela anotasse.

G.O: Como é o funcionamento do Ego’s?

G.L: Durante todos os dias da semana o restaurante oferece almoço. Nós abrimos às 11h30min. Temos em torno de 20 pratos quentes, nos quais utilizamos peixes, queijos, outros pratos mais elaborados, 20 tipos de saladas, além da parrilla, onde são preparados mais de 14 tipos de carnes e diversos tipos de queijos. Estes são feitos na hora pelo parrillero. Então as pessoas tem a oportunidade de se servir no buffet, pegar o grelhado na hora, tudo isso a quilo, que dentro da nossa avaliação é o sistema mais justo possível. À noite nós temos outra situação que nasceu com a crise, antes nós servíamos só ala carte, nós então passamos por uma modificação interna. Hoje nós temos a parte da pizzaria com forno a lenha, com tudo feito na hora, inclusive a massa. Temos também o sistema com a parrilla, com grelhados ala carte, temos alguns pratos da casa e um rodízio com tudo isso, onde a pessoa tem acesso às saladas. Assim agradamos todas as famílias.

G.O: Como surgiu a galeteria?

G.L: Aquela visão que eu tinha de que se ganhava muito dinheiro com o ramo da alimentação não estava tão errada. Eu só não sabia que teria que trabalhar muito para que isso acontecesse (risos). No primeiro mês eu tive um saldo negativo muito grande, levamos dois anos para estabilizar o restaurante. Com tudo estabilizado eu recebo a visita de um empresário, o antigo dono do restaurante 'A Figueira', ele veio com o objetivo de me vender o local. A minha primeira resposta foi negativa, mas ele me convenceu a ir conhecer o lugar. Mais uma vez eu me apaixonei, a arquitetura é fantástica, onde a família tem a oportunidade de entrar em contato com a natureza e fugir daquele miolo do Cassino, principalmente no verão, quando é difícil estacionar, achar um local agradável e que ofereça algo diferente. Além do mais, a galeteria tem um diferencial que é ser uma autentica galeteria, nós servimos massas e molhos, pratos de entrada, galetinho assado e bem temperado, carne de porco, além de pratos exóticos e frutos do mar.

G.O: Como surgiu a parceria com a Oceano FM?

G.L: Nós somos parceiros da rádio desde que abrimos o restaurante, a galeteria ainda não é divulgada, esta é a primeira mídia que nós fazemos (refere-se ao Case). Nossa relação na verdade surgiu muito antes, nos outros negócios que eu tive a rádio já era minha parceira e hoje, com o restaurante nós utilizamos ainda mais a rádio, pela visibilidade, alcance e diferentes públicos que a Oceano atinge. Então é uma mídia que interessa muito a quem precisa movimentar seu negócio, além de ser super viável.  Além da rádio nós temos uma página no Facebook da Galeteria (https://www.facebook.com/Egos-Galeteria-Restaurante-e-Petiscaria-836141436496162/?fref=ts ) e do Restaurante (https://www.facebook.com/Egos-Galeteria-Restaurante-e-Petiscaria-836141436496162/?fref=ts )  as duas são bem visitadas e também trazem bons resultados.

G.O:  Ego’s nasceu com a crise, como vocês lidam com ela hoje?

G.L: Nós reduzimos custos, todos tiveram que se adequar com este momento em que as pessoas estão segurando o dinheiro, mas nós não mexemos na qualidade. Se tem uma coisa que eu não abro mão é de trabalhar com produtos de qualidade, acredito que se não tiver qualidade não tem como se manter. Tem que aliar qualidade e bom preço. Além disso, o empresário tem que estar junto, porque para dar certo nós dependemos de uma série de fatores: são os produtos, os funcionários, o marketing, e se algo der errado e eu estiver perto vou saber o que tem que ser modificado. Para se manter tem que trabalhar em cima da qualidade e do atendimento. Aqui nosso atendimento é familiar, feito por mim, pela minha esposa, filha e genro e nós todos estamos sempre na linha de frente. Não existe uma receita de bolo, mas cada um vai ter que avaliar onde pode mexer.  Agora as pessoas apostaram demais no Polo Naval, quando a cidade do Rio Grande como um todo tem um potencial incrível. Então se tivermos o Polo que bom, mas se não tivermos outro segmento vai tomar a frente, outros investidores vão vir.  A cidade do Rio Grande está acima de qualquer crise.

Cases de Sucesso - Grupo Oceano

O blog Cases de Sucesso foi criado com o intuito de tornar público o bom relacionamento entre as empresas que compõem o Grupo Oceano e as que buscam o reconhecimento do seu trabalho no mercado. Perante um cenário de crise, fomos verificar in loco a situação das empresas parceiras que fazem parte do nosso seleto grupo de anunciantes, o resultado você acompanha aqui no Blog.

 

“Em momentos de crise só a imaginação é mais importante que o conhecimento”. (Albert Einsten)

Arquivo

Voltar Topo