Rio Grande

Saúde

Integrantes do projeto "Biografias do Trauma" apresentaram dados sobre violência obstétrica

Por Assessoria , 16/04/2018, 11h22

O prefeito Alexandre Lindenmeyer recebeu no Gabinete do Executivo na tarde da última sexta-feira (13) duas integrantes do projeto “Biografias do Trauma”, Kelley Duarte e Carolina Leonetti. Na pauta da reunião com o chefe do Executivo, a apresentação do projeto e a busca da soma de esforços para a construção de uma campanha sobre o assunto em Rio Grande.

O grupo de extensão “Biografias do Trauma”, uma parceria entre as universidades FURG e Anhanguera, atua desde 2016 com a transcrição, análise dos relatos, orientação e apoio às mulheres que sofreram esse tipo de violência em hospitais de Rio Grande. A proposta é lançar um olhar literário e interdisciplinar para a experiência obstétrica. O grupo multi e interdisciplinar é formado por profissionais das Letras, da Psicologia, do Direito e área da Saúde.

A violência obstétrica é qualquer ato ofensivo, humilhante e agressivo, de violência física ou verbal, contra a mulher gestante, em situação de parto, pós-parto e abortamento. Elas costumam acontecer em instituições de saúde e em locais que deveriam dar assistência e amparo, tendo como autores profissionais e/ou funcionários desse local. Entre as consequências para quem sofre este tipo de violência estão possíveis sequelas físicas, psicológicas e até mesmo o óbito fetal e/ou materno.

Durante a conversa com o prefeito as representantes do projeto pleitearam a ideia de uma campanha para abordar o tema em hospitais de Rio Grande, a possibilidade de pensar um Projeto de Lei sobre o assunto, além da elaboração e uma audiência pública convocando toda a sociedade para discutir a pauta. Na programação do “Março Lilás” da Prefeitura o grupo apresentou e discutiu o projeto em algumas oportunidades.

Foto: Rosélia Falcão/PMRG

Voltar Topo