Porto do Rio Grande

Movimentação

Porto registra menor movimento dos últimos 10 anos

Por , 20/06/2018, 15h53

O Porto do Rio Grande foi um dos mais impactados com a greve dos caminhoneiros, que durou 11 dias. Em relação ao mesmo período do ano passado, foi uma média de 6,65% de queda na movimentação de mercadorias. Vários setores registraram prejuízos.

De acordo com o diretor técnico do Porto, Darci Tártari, a recepção rodoviária ainda apresenta déficit. “Não temos problema com a movimentação de containers, mas os grãos, não voltaram a sua circulação normal”, comenta o diretor. “Com a questão do frete ainda por ser definida, acredita-se que o produtor esteja segurando sua safra a fim de conseguir melhores valores no mercado”, explica.“Registramos um menor número de caminhões circulando”, enfatiza.

Em maio de 2017, foram movimentadas 4.129.465 toneladas de mercadorias, contra 3.854.688 neste ano. No total acumulado, de janeiro a maio, a queda foi de 0,61%. A movimentação de soja em grão, por exemplo, caiu 3,59%. Já o farelo de soja reduziu 11,25%. A soja é o principal produto agrícola do estado. Está deveria ser uma movimentação recorde dos últimos 10 anos, mas foi a menor. A cotação é feita por quadrimestre.

O Porto de Rio Grande é considerado um dos cinco mais importantes do Brasil e um dos mais eficientes na exportação de grãos, empregando cerca de 10 mil pessoas.

 

Foto: Joseane Duarte / Grupo Oceano

 

Voltar Topo