São José do Norte

Impasse

Executivo nortense denuncia descumprimento de horários na travessia da balsa

Por Rodrigo de Aguiar , 02/01/2019, 15h27

O anúncio da ampliação dos horários de travessia de veículos entre Rio Grande e São José do Norte, durante a temporada de verão, foi recebido com alívio por quem costuma utilizar o serviço e também por turistas que chegam ao município para aproveitar a praia do Mar Grosso. O aumento foi autorizado por uma portaria editada pela Superintendência do Porto do Rio Grande e deveria entrar em vigor no dia 17 de dezembro.

Acontece que na tarde de ontem, a prefeita de São José do Norte, Fabiany Zogbi Roig, denunciou em suas redes sociais o descumprimento da medida, mostrando em vídeo o ponto de desembarque da balsa completamente vazio, quando naquele horário deveria ocorrer mais uma travessia. O executivo nortense emitiu à noite uma nota de repúdio, onde disse que espera que decisões sejam tomadas pelos órgãos competentes em razão do ocorrido.

Em contato com a reportagem do Grupo Oceano, a prefeita informou que deverá remeter ainda hoje ao Ministério Público um ofício com o pedido de auxílio e de providências diante da situação enfrentada. Ela adiantou que o documento será fundamentado com a cópia da portaria que instituiu a ampliação dos horários, afim de comprovar o descumprimento. Consultada, a promotoria informou que até o final da manhã ainda não havia recebido denúncias.

A empresa F. Andreis, responsável pela realização da travessia, informou que não foi convocada para as reuniões que definiram a ampliação dos horários e que ficou sabendo da decisão de uma hora para outra. Ainda conforme a empresa, mesmo que de forma temporária, a operação destes outros horários demanda a contratação de mão-de-obra especializada, formada por uma equipe de no mínimo seis funcionários.

Para subsidiar esse custo, a empresa pediu a prorrogação do prazo de início da vigência dos horários e solicitou à Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (Agergs) o reajuste da tarifa. Como ainda não recebeu resposta quando ao pedido protocolado, solicitou uma nova prorrogação de prazo à Superintendência do Porto do Rio Grande (Suprg).

A F. Andreis também informou que no mês de maio protocolou junto à Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) de São José do Norte um pedido para realizar a travessia pela Barra e a resposta veio somente seis meses depois alegando que o local onde seria construído o atracadouro se caracterizava como área de marisma, não sendo possível a autorização. A empresa sustenta que o tempo de travessia seria reduzido em 30 minutos, passando a ser realizada em apenas 15.

Foto: Divulgação

Voltar Topo